Kica de Castro

“Ser diferente também tem seu lado belo”

Apresentação

Ousadia, responsabilidade e ética! Essas são as principais características do trabalho de Kica de Castro - Agência de modelos para pessoas com deficiência, tem como objetivo lançá-los no mercado publicitário e provar que beleza e deficiência física não são duas expressões contraditórias.

Novidade

A agência dá um passo revolucionário na inserção de pessoas com deficiência no mercado publicitário, com a série de books fotográficos ROMPENDO BARREIRAS. Agora, os ensaios fotográficos dos seus modelos preferidos estão disponíveis e de forma exclusiva para atender à clientela mais exigente. Saiba mais...

"CLICkS" ULTRAPASSAM AS FRONTEIRAS DO PRECONCEITO


Até uns anos atrás, tempo não tão distante, falar sobre deficiência era um assunto capaz de provocar constrangimento; ter defeito físico, necessitar de algum tipo de acessório para se locomover, fosse um par de muletas ou uma cadeira de rodas, significava invalidez, seres descartáveis para a sociedade. Mesmo na atualidade, com os programas de apoio ao deficiente e amplas campanhas de conscientização, ainda existe muito preconceito, discriminação e ignorância em relação aos portadores de necessidades especiais.

Imagine, então, deficientes no mundo da moda! Como pode um deficiente - cadeirante, usuário de muletas ou próteses - ter sensualidade, beleza e charme? Será possível isto numa sociedade preconceituosa e com pensamentos preconcebidos, para quem a beleza e a sensualidade têm um padrão já estabelecido?

Até algum tempo, cogitar essa possibilidade era motivo de piada ou, no mínimo, comentário maldoso. (Já vivenciei situação assim, mas, depois, conto esse fato). Entretanto, para a ousada Kica de Castro, isto não existe. Fotógrafa e publicitária, é profissional de mente aberta, com a fina percepção de enxergar além do que aparenta ser, ela fala sobre beleza e sensualidade do deficiente com propriedade, visto que possui a experiência de quem já trabalhou no mundo da moda com os estereótipos muitas vezes impostos pela sociedade.

Seu currículo inclui, desde o ano 2000, o início de uma carreira com eventos sociais, passando, de 2002 a 2007, a atuar como chefe de fotografia em um Centro de Reabilitação para pessoas com deficiência física. Foi aí, segunda ela, que despertou seu interesse e proximidade com esse mundo. Produzindo fotos científicas para prontuário médico, Kica percebia a inibição e até constrangimento por parte desses pacientes. Sentiu, então, a necessidade de trabalhar a auto-estima dessas pessoas, com a ajuda de uma amiga psicóloga. Iniciou, dessa forma, sua jornada, que considero como um trabalho “de formiguinha”, já que, no Brasil, a trajetória de valorização do portador de necessidades especiais ainda segue a passos lentos. Em outros países, como os europeus, já existem concursos no estilo “a mais bela cadeirante", realizado na Alemanha e na França, uma espécie de “reality show” somente com deficientes.

Foi assim que levou para o estúdio da instituição acessórios, maquiagem; brincava, dizendo que as fotos iriam para as revistas com fotos sensuais e ficariam famosos. Conseguia, dessa forma, que se soltassem e, confiantes nela e em si mesmos, posassem para seus “clics” com mais naturalidade e leveza. A essa prática, Kica deu o nome de fototerapia!

O resultado da persistência e, acima de tudo, sensibilidade, de Kica de Castro chegou até à mídia graças a sua ousadia, responsabilidade e, principalmente, ética. Seu “casting” vem sendo solicitado para campanhas publicitárias e revistas segmentadas. A revista Sentidos (Editora Escala) traz na capa de sua edição 48, três lindas mulheres, sendo duas delas do casting de Kica de Castro: Diolice Barbosa,19, e Daiane Lopes, 27.

O caminho aberto por Kica ajudou Juliana Costa,13, a colocar em prática seu grande ideal de ser modelo. Paraplégica, vítima de bala perdida, sempre almejou as passarelas. Não desistiu desse sonho após o acidente e o viu tornando-se realidade quando foi apresentada a Kica de Castro no programa TV Xuxa, da Rede Globo de Televisão exibido em 30 agosto de 2008. Foi contratada pela fotógrafa para fazer parte de seu casting e hoje segue com seus ensaios fotográficos, sempre acompanhada pela produção do programa TV Xuxa. Confira




Esse trabalho tomou tamanha proporção que, recentemente, após alguns entendimentos, Kica de Castro se tornou representante oficial, no Brasil, da agência alemã Visable, de Dirk Gelbrecht, com sede em Langelsheim. Essa parceria amplia os horizontes para que moças e rapazes brasileiros portadores de deficiência ingressem no mundo da fotografia profissional no Brasil e exterior. No próximo mês de maio, Kica atravessará o Atlântico, acompanhada de duas modelos de sua agência, que vão se conhecer pessoalmente e realizar seus primeiros ensaios em terras internacionais. Na bagagem, a fotógrafa levará propostas de outros grandes projetos. “Tenho muitas idéias e quero levar muita gente boa e talentosa comigo, pois me realizo quando sei que colaboro para a realização de outras pessoas, autoras de outros projetos; tento fazer parceria, porque acredito no trabalho coletivo, princípio que adoto para acontecer a verdadeira inclusão. É preciso haver união”, afirma Kica, dona de uma simplicidade envolvente.

A modelo Haone Thinar,16, que, por decisão própria e com aval de sua mãe, aos nove anos amputou uma das pernas em função de um câncer, teve seu ensaio fotográfico enviado para a Alemanha. ”Hoje, ela é modelo destaque na Visable, e está fazendo muito sucesso. Estão amando suas fotos”, diz Kica, orgulhosa de sua pupila, levando, para a Europa, a beleza da mulher deficiente brasileira.

Outra “menina dos olhos” de Kica é a apucaranense Daiane Lopes ,27, Vítima de paralisia cerebral por falta de oxigenação na hora do parto, precisa de muletas para se locomover. Engajada, colaborou nas pesquisas para a criação de um dos personagens de história em quadrinhos “Turma da Febeca”, do cartunista carioca Victor Klier, cujos personagens são crianças e adolescentes com algum tipo de deficiência ou patologia. Logo após, conheceu Kica de Castro por meio do amigo Dudé e, em sua melhor fase, mostrou todo o seu potencial em fotos lindas e sensuais. Encara isto com muito profissionalismo e disciplina. Quando Kica a convoca para a sessão de fotos, ela sai do Paraná, toma ônibus, numa viagem de oito horas, e chega na data agendada, mostrando-se determinada ao que se propôs. E não para por ai. Por conta de fotos divulgadas em toda a mídia, Daiane foi vista por Emilia Cretuchi Quartim, presidente da Adefiap (Associação dos Deficientes Físicos de Apucarana), que desenvolve um trabalho de inclusão do deficiente físico no mercado de trabalho e garante acesso a tratamentos gratuitos. Encantada com o sucesso de sua conterrânea, Emilia a convidou para ser representante do Projeto Memorial Apucarana, com parceria junto à Secretaria de Cultura local.

Patrícia Lopes do Nascimento, 24, outra fotografada, participou de desfile numa feira de noivas e também de algumas fotos de moda para lojas de bairro e, ainda, foi promotora (recepção) em eventos de uma empresa multinacional.
Diolice Barbosa, 19, tetraplégica desde os 12 anos, devido a uma cirurgia mal-sucedida, para retirada de um tumor na coluna, reaprendeu a viver. Freqüenta uma instituição que ajuda na sua reabilitação e lá aderiu ao mundo das poses, pois, dona de uma beleza peculiar e um sorriso contagiante, foi convidada a posar numa campanha interna. Foi o seu passaporte para o mundo dos flashes, com ensaios para revistas e sites.

Conheça o casting













.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

“Gostaria de dizer-lhes que meu objetivo é mostrar que ‘beleza’ e ‘deficiência física’ não são duas expressões contraditórias. Que pessoas com esse tipo de problema são felizes e têm os mesmos padrões de vida que as pessoas consideradas normais; e que trabalhar como modelo profissional é possível. Que existe sentido em nos preocuparmos com encontrar o rapaz, a moça, o companheiro ou alma-gêmea. E que não existe razão alguma para nos escondermos do mundo devido a um problema físico. Há muito mais num ser humano do que a perfeição física.”

4 comentários:

  1. Anônimo disse...
     

    Demaaiia amoooo

    Beejo
    HAONÊ

  2. rodrigo disse...
     

    Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
    Parabens tudo muito bacana.
    Que Deus te abençoe,bj fica com Deus!!!!!!!!!!
    POPS..........

  3. Suely Estevam disse...
     

    Olá
    Sou deficiente,utilizo cadeiras de rodas e tenho 57 anos.Quero fazer propaganda, comerciais etc...
    Por onde começar? Apesar das duas limitações, deficiencia e idade.
    Abs.

  4. Nuridana Said disse...
     

    Olá. .
    Primeiro quero parabenizar seu trabalho e dizer que tenho um sonho de fazer um book e quem sabe seguir a carreira de modelo.
    Gostaria de saber como posso entrar em contato contigo? Sou de SP mas, se necessário, posso ir para onde for preciso.
    dandana_said@hotmail.com

Postar um comentário

Postar um comentário

Sua opinião